12 de jan de 2017

Solidão ou Liberdade ?

Já que muita gente me perguntou, aqui respondo:
Mudei-me para a Itália  junto com o Valentino e, no ano passado ele voltou ao Brasil e eu decidi ficar. Tinha certeza que vim para ficar.

Não foi, evidentemente, uma decisão simples, ao contrário, bem complicada, pois eu não tenho nenhuma ligação familiar e "afetiva" com a Itália, apenas o fato de sempre ter achado o país delicioso para se viajar, conhecer, descobrir e degustar.

Pois bem, decisão feita e me perguntei:
E agora?
Estava sozinha na Locanda com Tartufo, antes cão do Valentino, agora meu Border Collie, Barolo e Chablis, meus gatos vira-latas, resumindo minha família italiana. Além disso, assumi na totalidade a responsabilidade de tocar a locanda; o que era a parte do Valentino passou a ser minha também.
Ou seja, cuidar de todo o jardim, piscina, consertos, acordar no meio da noite quando Tartufo latia em demasia e etc.
Logo no início fiquei preocupada, não com medo, mas com dúvida se conseguiria dar conta de tudo.
Consegui!
Mas não o faria se não tivesse uma pitada de coragem e muita disciplina, sobretudo pelo fato de estar sozinha no meio do mato, 15 minutos de carro de uma cidadezinha medieval em uma das regiões mais conservadoras e fechadas da Itália - a Umbria - o que lhe rende toda a magia de uma Itália que parou no tempo.

A disciplina de manter uma rotina fez com que superasse o receio que tive de início, e superar o medo da solidão e de que algo me acontecesse.
Meu dia começa cedo, faço a cama, me troco e desço para preparar meu café da manhã, sempre coloco a mesa, com direito a arranjo de flores, dou comida para a minha família ( Tartufo, Barolo e Chablis) e inicia-se mais uma jornada.

Café da manhã, refeição que adoro é fácil, mais complicado foi me adaptar a cozinhar apenas para mim. Mas faço como manda os nutricionistas, procuro comer de forma balanceada, com direito a um pouco de tudo e lógico, com uma taça de vinho, afinal ninguém é de ferro e, o vinho me faz companhia.

Cada dia tenho meus afazeres, jardinagem, compras, passeio com o Tartufo. Por vezes fico alguns dias sem sair daqui, quando tenho que fazer compras, banco e resolver outras coisas vou uma única vez, faço tudo muito rápido pois é uma cidade pequena, nao tem trânsito, semáforo e é tudo muito tranquilo...mas isso conto em outro post.


Portanto optei pela liberdade.😀




7 comentários:

  1. Uau!!! Adoro pessoas assim corajosas, independentes e que acreditam em seus sonhos. É por isso que já gosto de você sem mesmo lhe conhecer pessoalmente. Adoro quando a Locanda de Dóris aparece no meu insta.bjs

    ResponderExcluir
  2. A cada dia que passa sua estória fica mais interessante. Boa sorte nessa nova etapa. Um dia apareço por ai.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns, escolha certa!! 👏🏽👏🏽

    ResponderExcluir
  4. Que linda história! Desejo que continue forte na sua escolha. Um dia irei te visitar. Seja forte! Grande abraço

    ResponderExcluir
  5. Parabens Doris! Fez a escolha certa. Esse país é apaixonante. Depois de conhecê-lo à fundo não daria para voltar p o Brasil

    Bjs
    Dani Bispo
    abolonhesa.com

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Querida Doris, acompanhar todo seu processo de mudança, o desapego, o período da procura por algo especial na Itália, o apto em Todi, a reforma deste local mágico que é a Locanda, a escolha do Tartufo, depois os gatos, o início do seu jardim, enfim, todo seu processo enamore por este lugar é, ao ler este relato, o momento difícil da separação, assumir tudo sozinha, o que não é fácil, pois realmente se "coloca a mão na massa" aí, é um exemplo de garra, conquista e a certeza de que aí, neste momento, é seu lugar!
    É um dos lugares que falo com maior carinho,tenha certeza que meus dias aí foram sublimes��.
    Ontem minha amiga Jane perguntou sobre a Locanda, inclusive vc e o Valentino estiveram no apto dela aqui no Itaim para entregar um quadro/foto dele, está morrendo de vontade de passar uns dias aí.
    Bjs e todo sucesso, amor e felicidade que vc é merecedora. Mara Prandina

    ResponderExcluir