29 de out de 2016

Pelas caminhadas

Sempre saio com o Tartufo para caminhar, está habituado a correr pelos campos aqui no entorno de casa sem coleira, me dá tanto prazer vê-lo solto e livre.

Hoje, encontramos uma lebre, ele saiu atrás dela saltando, pareciam na realidade duas lebres saltitantes, cena de fábula: A lebre e o Tartufo.

Com as chuvas e altas temperaturas para a época pipocam por todas as partes cogumelos  ( funghi) de todos os tamanhos, cores, espécies, os experts vivem aqui na zona para procurá-los, é uma arte, pois tem que conhecer qual se presta a comer e quais são venenosos.
Os que mais me impressionam são os vermelhos com pintinhas brancas, achava que era coisa de livro infantil, mas existem de verdade!!!
Muito bom poder perceber as coisas da natureza.

O mato alto do verão começa a baixar e vai dando acesso às trilhas que não podia percorrer, há trechos com muitas poças e eis, que um dia levei um escorregão, caí, bati o ombro numa pedra e fiquei estatelada no chão coberta de lama, Tartufo me olhava como quem diz: E agora o que faço para te ajudar.... Levantei-me devagar, vi que não tinha nada torcido,  nada cortado e voltei para casa toda cautelosa com cada passo dado.
Acho que preciso andar com uma bengala, tanta gente anda assim por aqui....



Nenhum comentário:

Postar um comentário